Tempo de Compartilhar - Marcelo Veras - Gestão de Carreira e Competências

Inova em Foco

17 Janeiro, 2018

Hebert Alexander Simon, apontado como pai intelectual do Design Thinking, acreditava na importância do design como um conceito explícito na prática da administração e tomada de decisão nas empresas. 

Ele via o design como uma parte entre o pensamento e decisão em uma estrutura empresarial. 

Afirmava na década de sessenta que: " Quem faz design projeta cursos de ação com o objetivo de transformar situações existentes em situações preferidas."

Deste ponto de partida iniciou-se uma leva de processos, primeiramente com o design estratégico, o qual ainda é muito confundido com design de marca.

O design estratégico pode trabalhar desde a elaboração e criação de produtos e serviços, mas foca principalmente em desenhar estratégias empresarias, partindo dos princípios do design. 

Este mecanismo introduziu o design na área dos negócios, embora poucas pessoas ainda não saibam dos seus benefícios: geração de lucro, melhora na gestão empresarial, engajamento de colaboradores e clientes e é inovador.

No design estratégico se tornam presentes a necessidade e forma de colocar no mercado, produtos ou serviços, pensado no usuário final como elemento principal deste mecanismo.

Este processo iniciou sem a necessidade da ação colaborativa multidisciplinar e portanto, uma única pessoa poderia gerir este mecanismo. Funcionava mais como uma função de planejamento e coordenação das ações/valores competentes à empresa em questão. 

Atualmente o pensamento do design se encontra presente em vários processos na área de negócios como facilitador nas gestões estratégica, de pessoas, planejamento, serviços entre outras áreas.

Este pensamento é colocado em vários processos partindo do design estratégico, que inicia esta trajetória, e posteriormente este processo vai se burilando chegando ao design thinking e seus desdobramentos como o design de serviços e desing sprint, os quais são praticados diferentemente, uns dos outros. 

O design sprint tem uma rotina de trabalho e é praticado em 5 dias. Normalmente a equipe que o pratica é de colaboradores de uma mesma empresa e é voltado à soluções de problemas internos de uma corporação.  

Com colaboração de equipes mutidisciplinares, tanto o design thinking quanto o desing de serviços, focam no usuário final como ponto principal para lançamento de um novo produto,  estuda comportamento e reações dos seres humanos para um melhor atendimento ou serviço. 

Mesmo com todos esses processos sendo utilizados por pequenos e grandes negócios ainda temos nossos pensamentos voltados para a relação do design com a " estética". 

Então, o que é gestão do design? 

Seria uma gestão ligada à "estética"?

Não... É gerir com o pensamento do design, diagnosticando e propondo soluções estratégicas em todas as áreas de uma empresa por meio dos mecanimos citados acima entre outros processo inovadores como a utilização Agile, UX, UI, Canvas, etc...

É criar uma gerência e não contratar um designer para desenvolvimentos de serviços isolados.

Trata-se de encontrar melhores soluções para o ambiente de trabalho, serviços, produtos, atendimento, redução de custos, comunicação interna e externa. 

Faz parte desta nova gestão uma equipe criativa e inovadora, que saiba solucionar problemas ao nível econômico/financeiro, administrativo e cultural.

É manter equilibrada a sintonia entre empresa e usuário, se assegurando de todos os processos e mantendo os serviços, identidade e produto com uma mesma linguagem.

Esperamos, em pouco tempo estar ouvindo falar desta expressão com mais frequência e maior compreensão, pois segundo o filósofo Wolfgang Welsch, "... assim como o século XX foi o século da arte, o século XXI será o século do design".



Erika Pozetti


Arquiteta e Urbanista pela PUC Campinas | Mestre em Design e Arquitetura pela FAU - USP.Trabalha no mercado desde 1995 iniciando seus trabalhos em São Paulo, e posteriormente em Campinas como designer da Casa3, Big Staff Mídias, e Ateliê Aberto executando trabalhos gráficos de identidade visual coorporativa, embalagens, produtos e periódicos, atuando fortemente com embalagens para indústria farmacêutica, foco de sua dissertação de mestrado. Hoje é co-proprietária da MIX DESIGN onde atua profissionalmente como designer gráfica e design thinker, desenvolvendo projetos, treinamentos e consultoria. Ingressou na carreira docente em 1997, coordenou a Pós-graduação em Design Gráfico no SENAC Campinas de 2007 à 2017. Atualmente ainda leciona nesta mesma instituição, bem como na ESAMC Campinas, é coordenadora nacional da especialização do MBA em Design Thinking da Inova Business School, mentora no Pós MBA e Consultora Sênior da Inova Consulting.