Inclusão na prática | Doenças raras, deficiências e escola: dicas para gestores escolares - Maibi Mascarenhas

Artigos

20 Novembro, 2019

Que a inclusão da pessoa com deficiência na escola é crescente, temos certeza.

Porém, vamos imaginar que você, gestor educacional, verdadeiramente inclusivo e empenhado com a formação de todos os alunos, receba a matrícula de uma criança com Bardet-Biedl ou Aicard-Goutieres. Possivelmente, por serem síndromes raras, ninguém da equipe terá ouvido falar nelas, apesar das demandas inclusivas específicas para este alunado.

Como buscar, então, uma aprendizagem mais eficaz e inclusão deste aluno?

Algumas dicas valiosas poderão auxiliar. Primeiramente, realize uma reunião com a família e anote todos os detalhes sobre cotidiano, formas de comunicação, limitações e barreiras encontradas.

Em segundo lugar, peça o contato dos especialistas, médicos e terapeutas que atendem o aluno. Converse com eles sobre as conquistas, dificuldades e expectativas. Solicite também literaturas indicadas sobre o assunto.

Em terceiro lugar, munido de todas as informações, oriente a equipe e desenvolva o plano de desenvolvimento do estudante, contendo as adaptações curriculares, metodológicas e avaliativas.

E, em quarto lugar, acompanhe os resultados e solicite aos envolvidos extra-escola que te posicionem sobre alterações significativas, para que todos estejam seguindo a mesma linha de procedimentos.

Com estas dicas, o caminho para viabilizar a inclusão será mais rápido, prático e eficaz.